sábado, 16 de agosto de 2014



Coração de poeta é tão fraco...
Bate, mas ninguém apanha.

Sergio Vaz